13 de abr de 2012

Ensinando Respeito

Texto: M.D.Amado
Ilustração: Lord Velprost




Me deixar jogado aqui nesse canto mofado, amarrado nessa camisa de força não vai mudar nada do que eu fiz. E não vai mudar nada que aquela vagabunda fez. 
Não me arrependo em absoluto. Depois de toda a minha vida dedicada a ela, depois de tudo que sacrifiquei por ela, me golpear daquela forma? Não... Não me arrependo mesmo. 

Com ela, o que eu fiz foi pouco. Ela sofreu pouco antes de morrer. Pena que não tinha muito do ácido e mal deu para queimar seus seios – gargalhadas. – Arrancar suas unhas foi interessante, mas nada se compara ao branquinho da carne se abrindo e logo em seguida sendo coberta por sangue, em cada pedacinho que eu cortei. 

E ele? E ele então? Matar não seria nada demais. Cortar o pau fora também não. Sou um gênio – gargalhadas –, um gênio. Nunca mais vou esquecer do pavor em seus olhos. Sentado naquela cadeira, sem poder se mexer e tendo que comer cada pedacinho dela – gargalhadas –, cada pedacinho daquela vaca. 

Acho que agora meu filho aprendeu a me respeitar. Nunca mais vai comer outra mulher minha.

M.D. Amado
Conheça seu livros de contos, Aos Olhos da Morte: www.estronho.com.br/olhos

Nenhum comentário:

Postar um comentário