1 de out de 2012

A Mala

Conto: Thiago Tizzot
Ilustração: Theo Szczepanski


O sujeito chegou com seu terno cinza surrado, camisa branca amarelada pelo tempo e uma gravata tão desbotada que não era possível dizer a cor. O sapato tinha um furo na sola esquerda e o couro preto estava rachado em vários lugares. Carregava a mala – aquelas de viagem de cenário de filme, parda, com adesivos de viagem coloridos nas pontas – sempre na mão direita. Sentava-se, desabotoava o paletó e colocava a mala em pé ao lado dos pés. Por alguns segundos fechava os olhos e encostava a grossa aliança nos lábios. Com um movimento discreto do dedo indicador pedia uma xícara de leite puro e morno.
Posso descrever com tantos detalhes porque há mais de um ano ele fazia esta mesma rotina, vestia estas mesmas roupas, pedia o leite e carregava a mesma mala. Nunca falou com ninguém, nunca pediu outra coisa ou fez qualquer detalhe de outra maneira. Bebia o leite com pequenos goles e durante toda a tarde ficava olhando a rua pela enorme janela da cafeteria.
Eu tinha chegado ao meu limite. Não aguentava mais aquele mistério, toda aquela rotina sem explicação e o sujeito com seu silêncio. O que levava na porra da mala? Leite morno? Para mim o filha da puta fazia aquilo só para me sacanear.
Outro detalhe é que sempre depois de terminar o leite, o cara seguia para o banheiro. Nunca vi alguém precisar mijar depois de tomar uma xícara de leite morno, mas assim era o tipo. Segui o cara até o banheiro que ficava em um corredor estreito atrás da loja. Um instante antes de entrar, esbarrei no sujeito e chutei sua mala. Com o impacto a mala abriu e do seu interior rolou uma cabeça decepada. Carne podre, osso e sangue seco se espalharam no chão. O fedor daquela coisa me golpeou como um soco.
A última vez que soube do tipo foi um pouco antes de morrer. No banheiro ele me esfaqueava e sussurrava que logo a minha cabeça estaria na mala junto com a da sua esposa. 

Thiago Tizzot
Autor dos livros "O Segredo da Guerra" e "A Ira dos Dragões e outros contos", pai da Lili e Basilisco.

Theo Szczepanski
Suas ideias e referências podem ser visualizadas no tumblr: http://opustheo.com e seu portfolio online em: http://cargocollective.com/opustheo


Nenhum comentário:

Postar um comentário